Lúcia Fernandes Stanislas

Lúcia Fernandes Stanislas

é uma entusiasta do desenvolvimento socioeconómico, mentora, empreendedora, e powerhouse de desenvolvimento. A sua formação académica superior foi em Estudos Liberais com concentrações em sistemas informáticos, estudos filosóficos e comunicação organizacional, adquirida nas Instituições, Morris Brown College e Mercer University em Atlanta, GA, Estado Unidos.
Chamada a participar da projecção e implementação de uma unidade fabril, e para fazer parte de uma firma de investimento privado, Lúcia Stanislas voltou para Angola, onde há cerca de seis anos, à par dos serviços que presta para clientes e parceiros, tem expandindo o seu círculo de influência, formando alianças estratégicas para a fomentação do ecossistema do empreendedorismo em Angola. Como resultado deste esforço foi reconhecida numa publicação feita pela embaixada americana, como mentora e provedora de serviços especializados.
Baseada na economia de ecossistema, Lúcia criou o espaço Ujima (significa Responsabilidade e Trabalho colectivo em Swahili), uma plataforma dinâmica, constituída por um conjunto de marcas criadas e desenvolvidas sob a sua liderança.
Enquanto pensadora de empreendedorismo, durante o último trimestre de 2016, Lúcia Stanislas produziu artigos sobre empreendedorismo e estratégia empresarial para o segundo maior jornal angolano, o Jornal O’PAÍS, que foram retomados e publicados por outros meios de comunicação, um trabalho que resultará em livro.

No início de 2017, Lúcia Stanislas foi convidada a fazer parte do maior ecossistema de inovação e empreendedorismo do país, a Fábrica de Sabão, localizado em Luanda no município de Cazenga. Neste centro, ergueu a incubadora de empresas, denominada Dibaka, que beneficiou cerca de sete startups e mais de 50 fundadores e empreendedores através das suas instalações e programas de capacitação.

Em 2018, Lúcia foi considerada, pelo Jornal Mercado, uma das maiores referências do jornalismo económico em Angola, como sendo parte de uma Geração de Ouro, jovens de sucesso, que estão a contribuir para o desenvolvimento socioeconómico do país.
No âmbito da responsabilidade social, criou uma plataforma de mentoria e “coaching”, Kussokwela. Através desta, Lúcia está a fazer brotar uma nova geração de jovens empreendedores, líderes e profissionais. Após um período de nove meses em laboratório com sete startups, o GÁS é lançado como metodologia com eficácia comprovada.
Lúcia é, desde 2017, a Embaixadora do WED (Women’s Entrepreneurship Day), Dia Global da Mulher Empreendedora, uma organização endossada pela ONU, que celebra, apoia e promove a mulher empreendedora. Deste espírito nasceu o projecto Mwika, que inicialmente visa apoiar…
Até a presente data, Lúcia já foi membro e/ou directora de cerca de oito organizações sem fins lucrativos, sendo cofundadora de quatro delas desde 1995; destacando-se como presidente da SODAR (Apoio a crianças de rua vítimas de guerra – 1995), presidente da ASSANGA (Associação de Angolanos em Georgia – 2001), Secretária Executiva da AAGA (African Association of Georgia – 2005), Vice-Presidente da ACCAO (Association Comunidade Capoeira Angola Opus – 2008), e Vice-Presidente do IAL (Iniciativa Angolana de Liderança – 2014).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *